CHAMPAGNE, ESPUMANTE, SPARKLING, PROSECCO, MOSCATEL, QUE É O QUE AFINAL!


Imagem 822

 

Este post é uma repaginação de um dos primeiros que coloquei neste blog. O motivo falarei sobre a região de Champagne e como a confusão é grande na área dos vinhos com bolinha, vamos lá.

A cena é comum nos supermercados e lojas especializadas. Consumidores e vendedores confusos na hora comprar/indicar um espumante.

Além do gosto pessoal é importante conhecer alguns detalhes que fazem a diferença no final.

Champagne, somente na região demarcada na França, todos os outros são espumantes.

Os mestres do marketing, os americanos, a chamam de sparkling wine, vinho que solta flashes of light.

O vinho base do espumante é mais ácido e menos doce que o normal, pois irá sofrer nova fermentação. Assim normalmente o vinho base provem de regiões mais frias.POR ISTO NEM TODOS OS PAÍSES  QUE PRODUZEM VINHO TEM O ESPUMANTE.

Na Itália, ao nordeste – Vêneto (Prosecco),  Franciacorta, na Lombardia, com os espumantes tradicionais e os Asti, do Piemonte.

Na França, além da demarcada região do Champagne tem a Alsácia, Loire, Borgonha, e, principalmente LIMOUX, vejam http://wp.me/pPKW2-ng ONDE FORAM PRODUZIDAS AS PRIMEIRAS GARRAFAS DE EMPUMANTE, MUITO ANTES DA BADALADA REGIÃO NO ENTORNO DE REIMS.

Portugal, Varosa e  Bairrada. Espanha com as Cavas, da Catalunha. No Brasil, por ter condições ideais a serra gaúcha está inserida no mapa mundial deste tipo de vinho.

Prosecco não é tipo de espumante, mas sim a casta utilizada para fabricá-lo.

Cava é um tipo de espumante produzido somente em  Barcelona, Espanha, com castas locais.

Pode-se produzir o espumante por dois métodos, o Charmat e o Champenoise, levando em conta que o espumante deve, necessariamente, sofrer uma segunda fermentação na garrafa ou em tanques de inox.

O método Charmat consiste na segunda fermentação em tanques de inox com controle de temperatura, assim existe visivel redução de custo, infelizmente, também, de qualidade, prefira, se o bolso permitir, comprar um champenoise.

No sistema Charmat a segunda fermentação ocorre em torno de seis meses, no Champenoise por volta de um a dois anos.

No métoido tradicional ou Champenoise a segunda fermentação ocorre na própria garrafa. Mais caro mas mantém a qualidade do espumante/Champgne  por uma dezena de anos.

Quando produzidas no método champenoise, as garrafas são postas com inclinação de gargalo para baixo e giradas um quarto de volta por dia. Ao final do período necessário, forma-se na ponta acúmulo das leveduras. O gargalo é congelado e as borras são retiradas. O espaço é preenchido com o  licor de expedição para completar a garrafa.

Agora é que os caminhos serão definidos.  O licor de expedição, no caso dos Champenoise ou a pura adição de açúcar nos Charmat,  em quantidades que variam na legislação de cada país.

No Brasil.

DOCE: Igual ou superior a 60 gl de açúcar.

DEMI-SEC MEIO DOCE: De 20 a 60 gl de açúcar.

SEC – SECO: Entre 15 a 20 gl de açúcar.

BRUT: Entre 8 e 15 gl de açúcar.

EXTRA-BRUT: Entre 3 e 8 gl de açúcar.

NATURE: De 0 a 3 gl de açúcar.

Bem agora é só escolher o caminho que quer seguir. Eu gosto dos nature ou extra-brut.

Cuidado que cada país tem a sua legislação em relação à quantidade de açúcar adicionado.

About these ads

2 comentários sobre “CHAMPAGNE, ESPUMANTE, SPARKLING, PROSECCO, MOSCATEL, QUE É O QUE AFINAL!

  1. qria saber que tipo de proseco as mulheres preferem…não sei bm se seria proseco ou espumante…tenho devidas,falo do brut,demisec….

    • Robson a grosso modo TODOS os vinhos que passam por uma segunda fermentação, seja na garrafa (método tradicional ou champenoise) são considerados espumantes, no Brasil, nos EUA sparkling e por aí vai.

      Menos os produzidos na região de Champagne, que por uma razão legal são chamados de Champagne. Portanto, o Prosecco é um espumante produzido no norte da Itália (Veneto), mas eles não são produzidos ao estilo de adicionar açúcar para criar os tipos demi-sec, brut e por aí vai. Em geral são mais leves, com acidez mais acentuada e muito refrescantes.

      Em termos de gosto aí complica. Minha experiência diz que quem não está acostumado a beber vinho vai sempre pelo mais docinho, assim um moscatel que é um espumante feito com a uva moscatel é o indicado para quem gosta do mais docinhho

      Um abraço e obrigado pela visita

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s